quinta-feira, 30 de julho de 2015

O amor liberta meu bem...

Eu nunca te tiraria do meu passado, você foi o meu primeiro amor, e você sabe o que dizem dos primeiros amores. "São pra vida toda". E essa filosofia nunca me incomodou, até eu conhecer você. Pensar em você como algo que eu "carregaria pra sempre" te fez ainda mais especial, e eu não soube lidar com isso. Como a minha avó dizia "a gente tem que dar o peso certo pras coisas", e eu, se tratando de você, nunca fui boa de medida.

  Foi você mesmo que disse, a gente não manda nos sentimentos que tem. Mas mesmo se eu mandasse, do jeito que sou, me mandaria uma coisa e faria ao contrário, porque eu gosto de ser do contra até comigo mesma. Eu não te tiraria da minha vida por nada.

Com você eu aprendi a amar do jeito mais puro do mundo, sem querer nada em troca, sem pedir amor de volta,amor só por amor. Mas como minha mãe mesmo me disse " Amar sozinho uma hora deixa de ser amor, e vira teimosia Kalinka!". Eu sempre fui teimosa feito uma porta, e isso quase nunca foi problema pra gente.Toda essa teimosia me fez não querer desistir. Me fez acreditar no que não tinha a menor credibilidade, eu criei a nossa história de amor. De tanto querer viver ela com você, eu acabei vivendo ela sozinha.

Porque você começou a namorar, eu me convenci de que duraria pouco, até te ver caidinho pela sua namorada e meu coração se quebrar inteiro, juntei caquinho por caquinho e te colei de volta. Mas até quem ama sozinho desiste, eu mesma, já cheguei a "quase" desistir, "quase" porque tudo com a gente é assim, meio "quase lá". Porque a gente "quase" aconteceu, porque a gente "quase" namorou, porque a gente "quase" foi um nós, ao invés de "eu" e "você". E nesse quase, eu "quase" desisti, mas aí você me beijou, tudo acendeu, reacendeu, brilhou. "Quem sabe era agora que ..." Mas não era.

Acreditei na gente, acreditei em nós, mas não era um nós pra você. Sempre vi "nós" como derivado de "nó", de duas pontas que se amarram e se prendem pra nunca mais se perder. Mas a gente nunca foi um nó, e sim, só eu, e só você. Comecei a me conformar em te esperar, em ser sua segunda opção, eu me conformei a ser sádica, porque eu achava que até pra amar eu tinha que sofrer. Vivi na ilusão de achar que uma hora, o tão sonhado click que eu venho esperando a tanto tempo fosse te invadir as ideias e então você começasse a me ver diferente. Que amor é esse que me maltrata tanto?

Você foi "um" amor da minha vida, talvez o que mais me ensinou a viver. Porque eu cansei de "quase", agora se não for "inteiro" não serve, pra ser metade eu continuo metade e sozinha. Eu distorci o amor porque eu achava que amor a qualquer custo ia te trazer pra mim, eu achei que ficar presa a isso ia me levar a você. Mas o amor liberta meu bem, ele liberta.

quarta-feira, 29 de julho de 2015

A saudade salgada e a facilidade de escrever sobre você.


     A verdade é que sempre foi fácil escrever sobre a sensação de te perder, as palavras são palpáveis para quem sente, meu amor, mas eu confesso que não existe nada mais complexo do que a tua mão leve enlaçando meu coração.

     Eu sei descrever cada passo que o meu interior retrocedeu por ter te perdido, sei fazer cada vírgula e cada ponto serem colocados exatamente onde sinto todas as pausas por dentro, mas eu não consigo, de jeito nenhum, expôr o que me bate quando você sorrir e o que toma conta de cada ponta do meu ser quando teu olhar vira de lado me fazendo esquecer que acabou, que enfim, teve um fim.

    As vezes eu me pego de olhos fechados sentindo o teu abraço, escutando a tua voz e alisando o teu cabelo mal cortado nos meus sonhos. Te vejo com a camisa cheirando a amaciante, e sinto teu cheiro como se você estivesse marcando presença em mim, mas eu sei que talvez seja apenas a minha cabeça criando memórias falsas, de segundos jamais vividos onde eu nunca te tive de verdade, onde você me teve sem saber disso e nós conversamos apenas como bons amigos, até que isso também acabou.

    A saudade é tão salgada quanto nossos olhos separados, quanto os nossos abraços que não mais nos pertencem e quanto essa facilidade de pôr as palavras no vazio que me toma quando eu penso em você e não posso te ter, quando eu passo no restaurante de esquina e não posso mais contigo almoçar, quando eu sei que você está em algum lugar do mundo, mas não sei se pensando em mim ou na nossa amizade cheia de amor ao desconhecido.

    Sim, eu penso em você todas as vezes que pego meu celular ainda na madrugada, quando olho para os teus passos tatuados no meu coração e não posso deixar minha alma nua para você tocar todas as minhas raízes, eu penso em você quando não penso em nada e do nada surge teu nome em algum lugar do mundo, porque é incrível como todos os nomes são teus, como eu procuro te encontrar e beber da doçura que a tua amizade carregava, já que escrever sobre não te ter é fácil, entender um coração partido é ainda mais fácil, difícil mesmo é sentir isso todos os dias, e ainda assim, não fazer nada para te roubar de volta, não conseguir nenhum pedacinho teu nos personagens do meu mundo encantado.

(Marina Galvão)

terça-feira, 28 de julho de 2015

Mais do Mesmo


"Somos tão jovens!"


Com todas as rimas do mundo se faz a poesia mais bela, mas mesmo com toda a beleza desse mundo numa folha de papel, não se faz em tamanho o amor que sinto por ti. Escrever sobre amores todo mundo escreve, falar sobre a dor de perder alguém todo mundo consegue, se apaixonar todo mundo já sabe como que é. Mas tentar explicar para o mundo inteiro o que acontece comigo quando olho nos seus olhos é deveras difícil. Há certa beleza no caos que surge em mim quando você sorri. É um furacão, é chuva, é um liquidificador barulhento com cada segredo e sentimento misturado ao acaso, sem pretérito perfeito ou futuro do presente. Por que não importa se é conclusiva, explicativa ou adversativa. Você deixa minhas orações sem conjunções, sem sujeito e sem um pingo se quer de concordância. “E quem vai dizer que existe razão nessas coisas feitas pelo coração.”

Queria que você estivesse aqui! Queria poder te abraçar agora. Mesmo que por um segundo, por que com você eles se eternizam. Você sabe ser linda de uma forma que ninguém ainda traduziu para os livros, já procurei de Vinicius a Drummond, e só achei a certeza de que você é um pedaço do céu que poucos tiveram o prazer de conhecer. Saudades do seu cheiro nas minhas blusas que você veste por que está com frio. Saudades da sua risada deliciosa das minhas piadas, da sua alegria que desperta meu riso. Queria que você estivesse aqui, cantando toda desafinada as músicas que narram cada momento da nossa história. “Me disseram que você estava chorando e foi então que eu percebi como lhe quero tanto.”

Ainda alguém vai tentar estudar e explicar a química do nosso amor quando se esta tocando legião urbana. Alguém ainda vai escrever sobre todos os nossos beijos em shows de rock por esse mundo afora. Vão dizer sobre quão nós éramos parecidos e belos juntos, como Romeu e Julieta, como queijo e goiabada, como nosso açaí clássico com leite condensado na mesma lanchonete de quinze anos atrás. Eu sei que a gente já passou por cada circunstancia maluca que é até difícil enumerar, mas também sei que ter saído de cada uma delas nos fez melhores como pessoas, e principalmente melhores como amigos. Se eu fosse contar cada vez que eu te odiei, que eu senti vontade de te socar a cara, de mandar você à merda e nunca mais olhar na minha cara eu aposto que você nem ficaria surpresa, por que você sabe que foram tão várias quanto as que você também sentiu. Maldita personalidade nuclear essa nossa, que de ódio vira amor, e de repente, você está aqui de novo, fazendo morada nos meus braços e sendo a única pessoa capaz de me ter tão fácil como ninguém jamais terá.

Já te encaixei em todas as possíveis posições da minha vida, e por fim conclui que você está presente em todo o organograma, como uma espécie maluca de ser humano capaz de ser tudo o que eu preciso em todos os momentos e circunstancias da minha vida. Eu já quis matar mais ou menos 100% dos seus ex-namorados, e você me dava a maior força, já que cada uma das minhas também queria você fora da minha vida. “Acho que estou gostando de alguém, mas é de você que não me esquecerei...” Engraçado ver que o mundo deu tantas voltas e todo mundo sumiu, mas que o nós foi a única coisa que jamais deixou de existir. Eu queria entender melhor essa coisa que ninguém entende, essa coisa louca de querer de beijar, de querer te cuidar, de querer te ver sendo a pessoa mais feliz da face da Terra. Eu queria poder explicar além do amor o que te faz tão minha, o que te faz tão bela. Nós somos um imbramado de conflitos que sempre se acham, que sempre se atraem. “O amor tem sempre a porta aberta!”


Seremos a amizade verdadeira, seremos a colorida, seremos a solidão, a dor, o amor. Seremos nós! E tão distante eu me sinto enfraquecido sem você, queria poder dividir minha cama mais vezes contigo, dividir meus problemas secretos, queria conseguir ouvir seus problemas sem sentir raiva, ciúmes, medo, ódio, amor, tudo... “E se você quiser alguém pra ser só seu, saiba que eu estarei aqui.” Estarei sempre aqui. Por você mil vezes, meu amor. 


***CURTE AI!


"Tornar um amor real é expulsá-lo de você, para que ele possa ser de alguém."

     O nosso amor era utópico, distante, parecia aqueles contos de fada, onde a princesa sonhava acordada com um príncipe em um cavalo branco e ele de repente a beijava... Não, mentira, o nosso amor não tinha nada de encantado, mas eu confesso que o preto da sua alma contradizendo o cavalo branco dos filmes, me encantava.

     Você chegou a mim como um furacão quando eu pedi aos céus uma brisa leve para refrescar meu coração, e isso era algo inesperado, eu não queria você como ausência, mas era tudo o que você conseguia ser, e eu não queria te cobrar nada, porque na verdade meu amor ciumento e possessivo já estava te sufocando demais, e o aperto não era exatamente a sensação que eu tentava com todas as minhas forças deixar em você, mas também era tudo o que eu conseguia ser, infelizmente.

     Agora, parada olhando as poucas fotos que tiramos juntos, com a sensação extraordinária de não ter nada além das suas palavras repetidamente fotografadas pela minha memória em efeito sépia, percebo o quanto foi bom esse espaço, a liberdade que nos foi permitida desde o dia que decidimos apenas nos enxergar de longe, olhando as fotos nas redes sociais, curtindo as lembranças e soltando suspiros, sem o menor jeito para a distância, mas com a certeza de que um dia, talvez, o conto de fada que lemos para as nossas crianças seja algo vivido, revivido e amado. Eu tenho a mesma esperança que você, a de que em algum lugar desse universo infinito, as nossas finitudes se encaixem, e passemos a ser nós, e somente nós.

     Embora pareça que só temos tempestades nos ligando, acho bonita essa coisa de ainda ter algo conectando as nossas almas, além do seu violão e das minhas palavras, algo que é palpável e chega a doer de tão forte, isso me prova que eu não morri para você, e por incrível que pareça, você também não está morto para mim. Eu arquivei no meu HD interno as suas sombrancelhas franzidas ao passar por um problema, os seus olhos se revirando e a sua voz no microfone, eu guardei seu cheiro de céu, sua alma de nuvem e a sua capacidade de me deixar sem graça diante de um público imenso ao longo da ministração.

    Eu não quero mais do que as suas palavras tão nuas, tão tuas, tão cheias do desconhecido, mas você quer de mim menos do que a minha auto confiança, do meu gênio forte, do meu orgulho e das máscaras que eu visto para esconder a confusão que sou, e isso eu não posso te dar.

    A menina indefesa, cheia de inseguranças, que chora até assistindo um filme e é a última a entender a piada não se encaixa em mim, e se é esse sonho que você quer viver, vai vivê-lo sem a minha companhia, com um outro alguém, com uma nova melhor amiga colorida, e pode ter certeza que a minha alma fica em preto e branco quando te afirmo isso, mas não quero te prender, já deixamos os nossos laços, e se é para te sufocar, prefiro te ter longe de mim... Desculpa, mas eu não tenho vocação para princesa encantada.

(Marina Galvão)

segunda-feira, 27 de julho de 2015

"Tudo o que ficou, mexe com meu interior..."

Se tudo tivesse ido embora junto com você, talvez fosse um pouco mais fácil, se você levasse de volta a parte de si que me deu, eu juro, minha vida tocaria com muito mais facilidade.

    Seria mais simples se você tivesse carregado o seu perfume que ficou impregnado no meu nariz, a sua voz que foi gravada pelos meus ouvidos e seu sorriso no canto da boca que a minha memória fotografou. Eu já tenho tantas incertezas, se você fosse mais uma delas não me faria diferença, mas você se tornou certeza, a afirmação que o meu coração pede ter por perto todos os segundos que eu respiro.

     Você poderia ter ficado, eu poderia ter pedido para que ficasse, nós dois ainda poderíamos ser bons amigos, ainda deveríamos andar lado a lado, e eu sinceramente não suporto caminhar sem um culpado palpável para tudo o que aconteceu entre nós dois. O destino seria uma ótima primeira opção para que eu pudesse lançar toda a culpa, mas ele é tão abstrato quanto eu, ou melhor, quanto eu e você juntos, a nossa imprevisibilidade formou esse destino a longa distância entre as nossas mãos, os nossos abraços, os nossos corpos que antes se misturavam e se acolhiam, e hoje em dia só se desejam, como uma certeza que não se pode ter por perto, como uma metade que está embrulhada do outro lado do mundo.

    Hoje em dia eu sei o porque as pessoas tomam litros de sorvete e comem barras de chocolate sem ligar para os quilos a mais que lhe serão acrescentados, eu não cheguei a esse limite, mas a dor de perder alguém em vida é tão perversa, trata de uma ferida aberta exposta ao sol sob a água salgada, trata da saudade, daquela mesma saudade que o fez ficar dias na cama chorando a ausência, daquele sentimento dilacerante, que rasga a garganta e o coração, que nos deixa com aquela sensação de que deveria estar presente, de que deveria ser um presente, que nem aqueles que os nossos pais embrulhavam em papel vermelho e nos enrolavam dizendo que havia sido o papai noel.

     Desde crianças aprendemos que a ilusão é doce, e eu intuo que tenha sido essa ilusão que nos fez tocar um ao outro sem ao menos uma dúvida de que era aquilo que queríamos. iludimos a nós mesmos, fomos tão inocentes ao ponto de sentir o amor de perto e deixa-lo escapar, de deixa-lo fazer as malas e partir sem deixar endereço, simplesmente por termos escolhido a amizade gostosa, colorida e cheia de céu, por termos abandonados os nossos olhos gigantes, as nossas mensagens de "eu te amo", e os nossos abraços, cheios de afago e paz, por medo da amizade com muita cor, virar algo que não carregaria nada além do preto e branco desconhecido.

    Sim, eu diria que o fim já nasce tendênciado a carregar dor, mas nós dois parecíamos tão eternos, tão completos. As nossas almas eram aparentemente as metades que faltavam no outro, eu passei a ter sede de você, assim como você passou a desejar os meus olhos puxados que nem me disse uma vez perdida, eu não sei viver sem o seu abraço, por isso te peço... Se você quer partir, pode ir, não vou te prender a mim, mas leva tudo junto com você, e se não puder me levar, arranca de mim tudo o que você deixou, me deixa dormir novamente sem acordar no meio da noite a procura de uma resposta no meu celular, que eu te juro, nenhum texto de amor descrevendo a nossa história será mais escrito no meu caderno, não que isso te importe, mas já que não sou a princesa dos seus sonhos, me devolve a minha paz e te leva de mim.

(Marina Galvão)

Mais dose de vinho e de você.

Te conheci num bar, numa noite quente. Eu não estava procurando um sorriso tão bonito como o seu, e confesso que achei o seu cabelo engraçado, todo bagunçado, e logo de cara eu adorei esse seu jeito atrapalhado, desastrado. Você chegou devagarinho, e eu soube logo de cara que gostaria de te beijar a noite toda. Você não veio com cantadas baratas, só me contou do seu trabalho, do seu cachorro, da sua ex noiva e da sua paixão por vinhos e futebol. Me cativou a noite toda, e não trocamos nada além de bons assuntos, gargalhadas e sorrisos. Pois é, nem eu acredito, logo de primeira você me fez sorrir, me fez querer saber mais sobre o cara mais velho do bar. Você me elogiava o tempo todo, dizia que eu era a morena novinha mais inteligente que já havia conhecido. E eu acreditava em cada palavra que saia da sua boca, dessa sua boca rosada e linda, coberta por essa barba bem feita e clarinha. Você tem aquelas sardinhas que eu tanto gosto, e porra, aquele seu jeito de mexer no meu cabelo, mexeu comigo. Eu me imaginei nos seus braços logo na primeira noite, mas resisti. E você insistiu, pediu meu telefone, endereço, pediu também mais uma taça de vinho e me convidou para tomar sangria no outro dia. É como se você já soubesse os meus gostos, meus medos, dramas e pequenas coisas que me fazem feliz. Você apareceu na porta da minha casa, e sem falar nada e roubou um beijo. Um dos melhores beijos que já senti, seu corpo estava quente e sua boca tinha gosto daqueles espumantes frescos que eu adoro tomar. E o tempo foi passando, quando eu percebi eu já sorria com suas mensagens de "bom dia" me dizendo que o dia estava lindo e que você gostaria de estar comigo. Em pouco tempo, combinamos viagens, você dizia que me ensinaria a cozinhar e a cantar. Você cantava todas as músicas daquele bar de rock que me levou. E me lembro na hora que o garçom perguntou se "sua namorada" queria mais uma caipirinha, você respondeu que não, que ela só queria mais um shot de marshmallow quente com ciroc... Como você poderia me conhecer tão bem? Como sabia ler os meus pensamentos e realizar todos os meus desejos sem ao menos eu precisar dizer algo? E eu era ela, eu me senti ela, quase me senti sua. Eu não quero isso, não quero experiencias incríveis que você me proporciona, não quero aprender tanto sobre vinhos e sobre a vida. E foi naquela noite, depois do show de rock, que eu me vi na sua cama, você todo carinhoso, me trouxe uma caixinha preta com um sutiã de renda preta e uma calcinha que mal cabia na minha mão. Te chamei de canalha, e duvidei que tinha comprado aquilo para mim. Você tinha o olhar mais malicioso e doce que já havia chegado perto, tão perto... Dentro da caixinha preta tinha um bilhete dizendo: "Eu não vou te dar um helicóptero vermelho com as sua inicias, pequena. Mas vou te dar uma noite linda, igual você. Essa lingierie é delicada, macia e pequena, também igual você. PS;. não me esqueci do bilhete". Eu soltei uma daquelas minhas gargalhadas escandalosas, que estava guardada a sete chaves, e lembrei de uma de nossas noites que te contei que não aceitava presentes sem bilhetes. E realmente, você cumpriu tudo que prometeu, nossa noite foi mágica, linda, intensa, surreal, incrível. Eu queria ficar ali para sempre, sendo sua, só sua. Você me puxou pela cintura, agarrou meu cabelo, gritava pelo meu nome, e seus olhos estavam cheios de desejos. E o sexo foi quase amor, quase, eu juro. Um sexo sem puder, com tanto carinho, tesão, desejo, e cheio de suor. Você deitou ao meu lado e ficou me olhando sem dizer nada, depois me ofereceu um vinho rosé, para comemorar a minha entrega. Eu sempre tão cheia de palavras, fiquei muda. Foi aí que percebi, que já era tarde, e naquele nosso último brinde da noite, eu brindei a nós. Um nós que ainda não existe, mas tá gritando que quer existir, mas eu tento resistir, tento fugir, mas aí você aparece e eu desisto. Acordei nos seus braços, você estava atrasado para o trabalho, ligou para seu chefe e disse que chegaria antes do almoço. Me levou para o parque e tomamos café. Depois me deixou no shopping, e foi embora, foi embora levando uma parte minha. E toda essa confusão dentro de mim aparece toda vez que você diz que quer me ver, quer me ter. Eu não sei quantos vinhos ainda vamos beber, mas olha, eu aceito, aceito mais uma e um milhão de doses de você.
Nicoly de Paula Costa

Adeus.

Não adianta plantar uma flor no coração de ninguém, se mal souber cuidar. Mesmo querendo, eu não vou me enganar. Eu conheço os seus passos, seus erros, não há nada de novo! Ainda somos iguais. Então por favor não me procure mais, não olhe para trás. E que de uma vez por todas, essa confusão mental seja somente sua, pois eu sempre tive certezas sobre os meus sentimentos e desejos. Seja feliz com as suas escolhas e consequências. Sou fã das voltas que o mundo da, mas apesar de tudo, a última coisa que eu consigo é te desejar o mal, te desejar saudade, te desejar dores e perdas, não consigo te desejar todo o vazio que me fez sentir. Você já trouxe cores para o meu mundo, mas já tirou cada uma delas. Já me fez perder a graça, já me fez duvidar do mundo e do amor. Eu só sei te desejar amor, porque aqui não tem espaço para sentimentos ruins. Por você, só sinto amor e isso nem Deus pode mudar. Agora vá, seja feliz, não se culpe, não me culpe. E que você um dia, aprenda a amar. A verdade é que eu nunca desejaria para ninguém tudo que você me fez sentir, pensar, viver. Eu já não preciso mais do seu amor, já me cansei do seu jeito de amar. E eu sei que nada dura para sempre, mas o mínimo que eu esperava era que tivesse verdades. Chega de mentiras, chegar de enganar, chega de palavras ao vento. Você não sabe o que quer da vida, e agora a minha única certeza é que eu não vou te esperar, não vou te cuidar, não vou mais acreditar que o amor é mais forte que tudo e que um dia você perceba que meu amor era puro, sincero e incondicional. Eu sempre te ouvi, eu sempre te entendi, te aceitei, te acolhi. Agora chega, não quero mais ser sua lua, muito menos sua, nem nessa vida, nem em nenhuma. A vida segue, você mente para si mesmo, você se engana e acha graça. Quando a festa acabar, por favor esqueça que eu existo, nem pense em me procurar. Quando o mundo desabar, seja forte, por favor não desaba, não perca o chão como um dia eu já perdi. Olha só que triste, eu jurei para as estrelas que dessa vez amar não seria em vão, e foi. Eu jurei para a energia mais forte e bonita do universo que eu nunca desistiria do seu amor. Mas eu desisto, eu não quero isso para mim, e não desejo você por perto... Não importa que seu sorriso continue lindo, que suas sardinhas e covinhas ainda me chamam a atenção, eu paro e olho o mundo lá fora! Tanta gente bonita, de corpo e alma. Tanta verdade por aí, tanto sorrisos mais sinceros que os que você me deu. Esses dias, ele me tirou uma gargalhada escandalosa, daquelas que eu só tinha com você, e foi bonito, foi verdadeiro, foi tão simples e tão intenso. Independente de tudo, eu sempre vou acreditar no seu melhor, sempre vou te admirar e torcer pelo seu sucesso, mesmo que de longe. Não esquece, por favor não esquece que a vida é linda e só depende da gente. Não esquece que o amor é importante, não esquece que ser egoísta e orgulhoso só faz mal. E eu espero que um dia você me esqueça, esqueça das conversas na sua varanda, esqueça do meu sorriso maior que o sol, esqueça das minhas manias e teorias malucas... Espero que você se esqueça do brilho que eu tinha no olhar ao te encontrar, esqueça das lágrimas que me fez derramar. Esqueça por favor, o quanto eu te amei e o quanto poderia te amar. Eu só quero ser feliz, leve, livre, intensa, cheia de dramas e teorias, como sempre fui. Eu só quero alguém que não desista, alguém que escolha de verdade ficar, alguém que escolha o amor ao invés da dúvida. Alguém que não seja você, alguém que saiba amar ou pelo menos arrisque tudo para aprender a se entregar. Sem rótulos, sem mágoas, sem arrependimentos. Eu me entreguei de coração aberto e alma lavada, eu fiz o que podia e até muito mais do que estava ao meu alcance. Te desejo tudo de mais bonito nessa vida, tudo de mais puro e muita paz, muita luz no seu caminho. Pare de procurar escuridão quando você estiver rodeado de luz. Pare de complicar sentimentos, pensamentos e desejos. Se encontre, e encontre amor, onde quer que você for. Não importa aonde eu estiver, a estrela que eu te dei sempre vai te olhar. Agora deixo o meu adeus, e um nunca mais. Que sua vida seja linda, igual a energia que um dia já compartilhamos. E se um dia eu sentir um terço se quer do amor que já senti por você por outro rapaz, e eu for correspondida, serei a morena mais feliz dessa galáxia, acredita? Eu falo sério, e tenho fé que irei encontrar. Espero que você também encontre alguma índia que se importe com você, como eu me importava. Para nós, todo amor do mundo. É, tá tudo bem. Vai ficar tudo bem. Porque sim, porque Deus quis...
Nicoly de Paula, a lua, morena, Índia.

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Quando falo em amor, me lembro de você!



E eu sentia aquele cheiro de shampoo entrando pelo meu nariz e tinha uma vontade enorme de acordá-la e enche-la de beijos. Ah essa morena! Mas eu também gostava de vê-la dormindo, e continuava fazendo cafuné nos seus cabelos e apreciando seu sorriso em sonhos tão distantes dali, me fazia ter vontade de entrar na sua cabeça e curtir cada momento ao seu lado.

Falando em curtir, eu me lembro daquela loira. Nossa como era maluca! Adorava correr comigo pelo parque brincando de pega-pega, até nos cansarmos e rolarmos pelo chão abraçados. E quando olhava para ela com o cabelo todo bagunçado e cheio de grama ela sorria de volta para mim e dizia “vamos de novo?”. E eu era apaixonado por aquele espírito aventureiro sem fim.

E falando em aventuras eu me recordo da ruiva, não tinha nada igual àquela mulher. Ela sabia fazer de tudo, e como ninguém. Todo dia era uma surpresa diferente, qualquer guardanapo de bar virava instrumento de uma recordação incrível ao lado dela. Tinha aquela paixão fervorosa que me fazia querer sempre mais e mais. Ela sempre usava daquele sorriso lindo e encantador para me dissuadir e ganhar em tudo o que a gente disputava, e eu nem me importava!

Falando em disputa, eu me lembro daquela doida do cabelo azul, que ganhava todas as partidas de sinuca sábado a noite de mim, a gente parecia dois gibis ambulantes com várias tatuagens e piercings, era quase uma cópia minha feminina. A gente se dava tão bem a tal ponto, que adivinhávamos o pensamento um do outro, chegava a ser assustador às vezes. Ou simplesmente a gente tinha nascido para ser um do outro.

Falar em amor me faz pensar que tantos anos se passaram, tantas coisas aconteceram na minha vida, eu cresci tanto, amadureci, vivi o bastante para entender boa parte de como funciona o mundo e o coração das pessoas. De fato, hoje eu sou feliz, e sem dúvidas parte disso é crédito seu. Nunca ouve um momento em que eu desejei estar com outra pessoa, você sempre foi e sempre será a rainha dos meus contos mais românticos. Dou-te minha palavra e todas as minhas juras de amor, você é incrível, juntos sempre seremos capazes de viver algo indescritível e imensurável, por que eu sou completamente apaixonado por você e por essa sua mania constante de pintar os cabelos.



***CURTE AI!

sábado, 11 de julho de 2015

Quando nossas metades estiverem sintonizadas



Às vezes eu acho que a vida está de sacanagem comigo, não é possível! É muito chato ter que ficar vivendo as coisas pela metade. Muitas vezes a vontade é de simplesmente não ter chance alguma, por que chegar tão longe e despencar lá de cima é doloroso demais. Eu ando vivendo de metades, já são incontáveis vezes que conheci pessoas pela metade. Entro na vida delas pela metade, roubo só metade do seu carisma. As pessoas estão se doando pela metade, contando histórias pela metade, se entregando à vida pela metade. Eu inclusive acho que peguei essa doença e ando saindo de casa pela metade, com a cabeça lá nas nuvens, lembrando de um tempo onde eu chegava num bar e saia de lá com no mínimo cinco novos amigos, saudades dessa época.

Acho tão lindo quando nossos olhos se cruzam e você vem correndo me abraçar pulando nos meus braços. Não importa se é no shopping com um milhão de espectadores ou no meio da rua deserta no frio de inverno, você sempre vem. Foram tantos anos de amizade, te observando de longe, enxergando em você uma espécie de admiração singular, onde todas aquelas etiquetas e padrões idiotas não parecem ter força alguma. Como seu sorriso é lindo! Como acelera meu peito quando você segura a minha mão. A vontade que eu tenho é de jamais soltá-la. Mas você sempre tem quer ir, e você sempre vai.

Nós somos tão engraçados né? Com essa brincadeira de faz de conta nossa sem fim. Já parou para perceber que todas às vezes que eu te vejo eu te peço em casamento? E o pior de tudo, você aceita todas elas. Depois a gente sorri, se abraça, se beija, você me elogia a cada dez segundos e a gente ganha o Oscar de mimimi melodramático do ano. A gente se vê tão pouco, e por tão pouco tempo, certamente isso influencia essa saudade calorosa, mas eu sempre tive a impressão de que você fugia de mim logo mais. O amor é algo tão sério, moça. Hoje nas nossas vidas existem tantas coisas mais urgentes, como carreira, amigos, família. Seria lindo poder dividir com você tudo isso, espero que um dia eu te encontre de verdade e você fique definitivamente, que sua família me aceite, que a gente esteja bem empregado, que a gente esteja morando na mesma cidade, que a gente esteja disposto a assumir algo sério, até por que o algo bonito a gente já tem né?


Como eu já devo ter dito em algum momento aqui, cada ser humano está em uma fase distinta da vida, e atualmente a gente vive em fases tão distintas, por um lado, e por outro, fases tão iguais, iguais onde falta tempo, e infelizmente só podemos viver para nós mesmos. Não sei a fundo até onde vai a verdade nas suas brincadeiras, mas de fato eu faria de tudo para ter uma mulher tão maravilhosa como você ao meu lado. E eu percebi que você não fugia quando dessa última vez você me disse coisas tão lindas e belas, olhando nos meus olhos de uma forma tão séria. Mas dessa vez foi minha vez de dizer “vamos deixar assim como está. Está ótimo assim!” E você concordou, está ótimo assim. Mas quem sabe amanhã, morena. Quem sabe daqui um ano a gente possa ter um dia inteiro livre para curtir mais um ao outro, para realmente nos conhecermos melhor, para que consigamos quebrar esses obstáculos tão bestas e assumir uma relação que vai ter um lindo começo. Por que os personagens estão ai, o roteiro eu mesmo escrevo e a gente vai ajeitando. O sentimento sempre me pareceu sincero, e se assim for, teremos uma fantástica história para contar ao final das nossas vidas, por que como você mesmo sempre me diz “Como nós somos sensacionais juntos!”.


***CURTE AI!

domingo, 5 de julho de 2015

Porquê todos os seus encontros viram desastres.



Eae, já aprendeu por ai a não criar expectativa nos outros? Já ouviu essa frase ao menos de alguém né? O ser humano é um bicho ansioso por natureza. A gente esbarra ao acaso com pessoas pelo nosso caminho, a gente se identifica, a gente se interessa, a gente se agrada com a rosa tatuada no braço ou com a banda favorita em comum, a gente sente atração pelo formato do rosto, pelo cabelo, pelas roupas, pelo corpo de academia, pelo cheiro ou pelo sorriso estampado nas fotos do Facebook.

Eu sinceramente acredito que o sucesso de um encontro está muito mais ligado a importância que você mesmo dá a ele do que pela a outra pessoa em si. Tem muita gente desesperada para se apaixonar por ai que acaba se apaixonando por qualquer um. Assim como tem muita gente querendo sexo casual e acabando magoando qualquer um para encontrar. É realmente difícil conhecer pessoas, até quem tem facilidade em se relacionar com os outros costuma admitir, por que do outro lado jaz um desconhecido, uma pessoa completamente mistificada pelos seus pré-julgamentos, anseios e expectativas. “Tudo pode acontecer!” dizia meu amigo. E de fato muitas coisas podem acontecer.

A gente tem que aprender uma coisa muito básica. Aprender que muitas vezes os outros não estão interessados na mesma coisa que a gente, e isso causa tanta discórdia por ai. Querer se apaixonar e achar a pessoas dos seus sonhos não é pecado não! Mas será que você sozinho é suficiente para sustentar sua própria felicidade? Por que se não você está fadado a cair em mais uma cilada, chega né? O problema não é fantasiar, o importante é saber que existe também o outro lado, existe um mar de possibilidades. Eu costumava roer todas as minhas unhas “Meu deus! Vou sair com fulana!”, hoje geralmente eu penso “Nossa, vou chegar lá no shopping e não sei se como no McDonalds ou no Burger King”, pode parecer frieza, mas garanto que é só menos expectativa mesmo, em algo que pode de fato durar menos que cinco minutos, até por que sou eu quem costuma se apaixonar e se foder depois. Você é de fato feliz?

Demorou muito para eu conseguir ficar sozinho, sem ninguém. E eu digo que foi fundamental para aprender uma penca de coisas que a gente não costuma enxergar quando a gente não se liberta daquilo que está na nossa zona de conforto. Hoje depois de anos sozinho eu posso dizer para você, eu não quero ficar sozinho, mas eu não tenho pressa, e se eu nunca encontrar ninguém eu não vou deixar de aproveitar a vida e ser feliz em cada momento, por que eu aqui comigo mesmo achei dentro de mim o que me faz realmente curtir a minha existência, e eu garanto para você que isso nunca vai depender de outra pessoa.

É preciso ter essa certeza dentro de si, de que o amanhã é incerto, mas a beleza do desconhecido está dentro de você, por que só você mesmo pode se tornar feliz. Se você está do lado de alguém e enxerga essa pessoa como mais do que você, certamente um dia você poderá perdê-la, assim como também se você enxerga a pessoa sendo menos do que você, eu garanto que em breve ela não estará mais ai. O amor nada mais é do que duas pessoas que estão interessadas nas mesmas coisas. Alguém que você aceite dividir seus sonhos, maluquices, seu futuro, seus passos, sem privar, atrasar ou limitar o caminho dela.

Só queria deixar aqui no final uma coisa muito importante. Aposte sim no amor! Mas aposte ainda mais nos seus amigos, certamente eles estarão para sempre com você, até mesmo quando você der as costas para eles por causa de alguém. Quando você tomar um pé na bunda e voltar chorando eles ainda vão estar lá para te dar um ombro (vai falar que é mentira?). Aposte em você mesmo, veja no espelho o mar de sonhos e elos que podem nascer de uma mesma pessoa. Todo mundo é especial, e quando isso for uma verdade evidente, absoluta e recíproca para uma pessoa, case-se com ela.

(ou simplesmente não case!)


**VAMOS SER FELIZ? Cute ai!