quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Que venham os novos recomeços






Aposto que esse ano não foi bem como você planejou, certo? 

Pois é, nem tudo costuma ser como a gente espera. E essa é aquela época em que a gente para por um instante, olha para o céu e se perde em flash backs dos melhores e piores momentos que tivemos ao longo do ano. E o que geralmente acontece é que nós podemos sorrir incessantemente lembrando-se dos mágicos momentos que dividimos com as pessoas que amamos, mas mesmo assim existem aqueles certos detalhes que nos abalam de uma maneira assustadora, e muitas vezes destroem todo nosso esforço de fechar o ano com um sorriso 100% sincero no rosto.

Não que o ano precise acabar para que a gente possa fazer planos, superar traumas ou começar novas tradições. Mas já que estamos aqui vamos fazer tudo de uma só vez, vamos aproveitar a deixa! Cada dia perdido é um dia a menos para colecionar boas lembranças. Começar aquela dieta ou academia? Aulas de dança ou pilates? Vamos nos permitir viver a vida, não deixe que seu ano seja mais uma vez uma repetição banal de um cotidiano preestabelecido por outras pessoas, onde não te satisfaz, onde você não encontra a plena felicidade. Difícil? Sem dúvidas! Mas sua felicidade vale o esforço, eu lhe garanto!

Vamos combinar aqui entre nós. Vamos abraçar por longos minutos as pessoas que deram parte de si por nós esse ano, e vamos dizer no ouvido delas o quanto elas são importantes para gente. Vamos substituir aquela mensagem de celular por uma ligação tradicional e não padronizada para quem realmente merece. Vamos unir a família e os amigos! Vamos começar sorrindo, esquecendo os problemas. Por que é necessária uma pausa para as nossas próprias cobranças. E se você acredita no amor, é nele que vai encontrar a paz e as respostas para o novo caminho que vem a frente.

Chega de amores que torturam, chega de gente que te priva. Vamos colocar pontos finais em histórias arrastadas pelo tempo, em reticencias mal escritas. Entender que é necessário desapegar de muitas coisas, para que a vida por si só se recicle e que a evolução aconteça. Vamos rever nossos valores, vamos aprender a colocar nosso amor próprio em patamares mais evidentes da nossa vida. Se o ano acabar e você ainda estiver esperando por um pedido de desculpas, talvez seja a hora de aceitar que ele provavelmente não vira. Vamos aprender a perder também. Certas pessoas e momentos simplesmente não voltam! Agora caso você deva um pedido de desculpas a alguém, corra! Ainda há tempo. Deixe o orgulho de lado! Todo mundo erra, não finja que você é superior. É terrível perder pessoas que se importam com a gente. O valor do afeto e carinho não pode ser comprado na mercearia da esquina, e conforme o passar dos anos costumam custar cada vez mais. Valorize!

Na praia, em casa, com o Netflix ou com os amigos. Não importa! Só não se esqueça de sorrir. Faça um brinde! Use a cor que mais te agradar! Acredite no que você quiser acreditar! Não se apegue ao que os outros dizem. A tua sorte é você quem vai fazer daqui em diante. Vamos perdoar, vamos aprender a ajudar até mesmo aqueles que querem o nosso mal. É valioso demais o bem que sai da gente, ele volta! Estenda a mão esse ano. Doe as roupas do seu guarda-roupa, faça amizade com um desconhecido, curta a vida tão curta, realize as loucuras que passam pela sua cabeça e que te fazem achar que você é maluco. Quem é maluco costuma ser feliz! Costuma ter mais amigos! Costuma aprender mais! Seja com os erros ou com as histórias que ouvimos das pessoas que paramos para ouvir. Ouvir é essencial!

Esse é o meu feliz ano novo. Espero que todos se sintam abraçados! E da minha parte me sinto realizado em saber que minhas palavras despertam sorrisos. Obrigado e boas festas!



           

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Um quase amor azul oceano...

Já fazem alguns meses que eu não escrevo sobre você. Outubro passou, novembro também e eu confesso que estava tranquila com o fato dos meus pensamentos alcançarem novos horizontes, longe dos seus olhos azuis oceânicos. Chegou o Natal, as luzes acompanhando todas as ruas, aquela cachaça empurrada na boca da minha família nada conservadora e o meu sono após a ceia, sono esse que trouxe seus olhos azuis em sonho, e eu pude sentir você presente em uma ausência infinita junto com a maldita hora em que reparei ainda te amar.

A vida tem umas correrias entre seus passos cansativos e eu confesso que entre pedras que se tropeçam e mãos que se conversam, eu andei até a sua porta, senti seu cheiro de perfume Johnson que meu primo de seis meses utiliza e que você, como criança até nisso, sempre gostou. O que doeu naquele dia não foi o perfume relembrado, nem as estrelas que não brilhavam da mesma maneira desde a noite em que nos despedimos. O que doeu foi ouvir o seu sorriso do lado de fora e te escutar amando outra pessoa, o que doeu foram seus olhos azuis virando as costas para o nosso amor -Se é que é/era mesmo amor- pela segunda vez quando eu enfim tive a coragem de apertar a campainha.

Passei uns dois meses evitando pensar em você, passei muitas horas tentando não escrever, não falar, não olhar as fotos e não sonhar com os olhos oceânicos. Sabe o que são dois meses tentando se livrar até dos sonhos? Eu tentei o máximo que pude, olhei todos os dias para minha melhor amiga e não a contei que os olhos dela eram iguais aos seus, abracei todas as pessoas que eu sempre abraço e em nenhuma delas encontrei o perfume de bebê, olhei para cada árvore e guardei quietinha as lembranças de você subindo no tronco em frente a igrejinha de esquina, vesti o casaco listrado que cabiam umas duas de mim e deixei proibida a lavagem dele, apenas com a intensão de te evitar o máximo mas não te deixar morrer completamente.

Pois é meu bem, o amor é isso mesmo, parece que vai ser um conto de fada no começo, mas depois a gente percebe que não existem príncipes encantados em cavalos brancos, existem Shrek's montados em éguas, e ou a gente aprende a ser fiona, ou se desprende de vez de todas as colocações que o verbo amar traz consigo. Ou preparamos nosso coração e nossa mente para a possibilidade de um amor destruído, ou não colocamos a nossa expectativa em cima de perceptíveis ilusões, e talvez o maior erro da minha existência tenha sido te reconhecer como ilusão desde o princípio e preferir acreditar, descartando a única possibilidade de dar tudo errado no fim das contas.

O que vale é que dois meses depois de não pronunciar seu nome nem em sonho, eu lembrei dos seus olhos azuis em algum cochilo no intervalo de tempo em que estudava e tomava o meu café, então resolvi ir em busca do amor encantado que acabou virando desencanto pela segunda vez. Depois de dois meses sem falar com você e um mês inteiro sem te ver, eu caminhei todos os meus labirintos interiores como a Alice que se perdeu no país das maravilhas, peguei o pozinho mágico da sininho e transformei-o em coragem dentro do meu peito, coragem para sair de casa com um casaco maior do que tudo o que cabe em mim, e ir em busca de um provável amor. Eu descartei mais uma vez a possibilidade de dar tudo errado (Como era evidente que daria), e corri para a sua porta transparente onde fiquei estatalada por alguns instantes, sentindo o seu perfume que estava atravessando todas as portas e paredes e penetrando na minha alma, e de repente te ouvi gritar do lado de dentro que amava alguém.

Talvez você tenha sido a maior desilusão que eu poderia ter experimentado em algum segundo da minha curta existência nessa terra, talvez eu tenha lembrado do quanto todas as suas palavras ainda estavam comigo e talvez ali, naquela porta, segundos antes de apertar a campainha, o casaco tenha se tornado pequeno para o tamanho de tudo o que eu estava sentindo. Acontece que mesmo prevendo tudo o que aconteceria, eu apertei a campainha, e você abriu com seus olhos de oceano, me abraçando forte e me chamando de amiga, e junto com o abraço, veio o seu novo amor se apresentar a mim, e foi ali que eu percebi o quanto estou vulnerável aos ataques da vida, foi quando você fechou a porta piscando os olhos que eu toquei meus dedos na flor de frente a sua casa e voltei ate a minha morada, foi ali que eu pude enxergar a falta de reciprocidade nos amores do destino, e foi naquele instante, graças a você, que eu percebi que ainda te amava mesmo você não se encaixando nos padrões de beleza que possivelmente me atraíam, e ali eu voltei para dentro dos meus humildes labirintos e me perdi mais uma vez com gotículas de expectativas de encontrar algo que pudesse suprir a sua ausência que estava machucando mais do que a queimadura que eu havia levado naquela semana, porém confesso: Nenhuma perdição pode preencher a falta de um quase amor, nem outro quase amor pode substituir um romance anterior,  porque mesmo não sendo inteiro, você foi a metade mais completa que eu pude experimentar.

    (Marina Galvão)

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Meu amigo secreto




Meu amigo secreto costumava reprimir a namorada por ela gostar de usar roupas curtas, dizia que ela devia “se dar o respeito”, mas não tirava os olhos das mulheres que passavam de roupa curta por ele na rua. Proibia a namorada de usar esmalte vermelho porque achava que era coisa de “vagabunda”. Pagava de machão na rua quando alguém a abordava, com a alegação de que ela “era dele”, mas  podia ir toda sexta-feira com os amigos para o happy hour no boteco sem ela.

Meu amigo secreto acha que mulher tem a obrigação de cuidar da casa e dos filhos, já que ele que “sustenta” a família. Acha que mulher que cozinha bem já está pronta para casar. Acha feio deixar a companheira pagar o jantar porque é feio ser sustentado por mulher.

Meu amigo secreto tomou um pé na bunda da namorada e depois saiu dizendo para quem quisesse ouvir que aquela “vadia” tinha ido embora por que estava “dando para o mundo inteiro”, mas enquanto isso ele podia transar com todas as mulheres que conseguia. Meu amigo secreto, como retaliação e se fazendo de vitima, divulgou todas as fotos intimas da namorada nas redes sociais, mas acha uma baita invasão de privacidade quando alguém critica suas atitudes na internet.

Meu amigo secreto acha que empregos distintos e até mesmo dirigir têm alguma relação com gênero, mas aposta “racha” na rua e dirigi depois de beber umas “brejas” no sábado à noite. Acha que mulher que “pega geral” é vagabunda, mas ele é “pegador” depois de competir com os amigos na balada. Acha um absurdo dois homens se beijando em público, mas se masturba toda noite em casa assistindo pornô lésbico. Jamais entraria em uma balada LGBT com medo de que os homossexuais o tratassem como ele trata as mulheres nas baladas que frequenta.

Meu amigo secreto proíbe a filha de trazer o namorado para casa, mas ensina o filho a “passar o rodo” nas meninas da vizinhança. Acha que romance é coisa de “viado”, mas recita Shakespeare se for preciso para ganhar uma foda. Acha o feminismo um absurdo, vitimismo exagerado, falta de “rola”, diz que não existe, mas ouve o vizinho batendo na mulher e finge que é normal.

Meu amigo secreto acha que roupa curta tem associação com desejo sexual, acha que vitimas de estupro tem alguma culpa, acha que aborto é uma barbárie, pois é a favor da vida. Compartilha fotos de fetos em protesto no Facebook, mas abandonou a namorada grávida, não criou o filho e quando vê uma criança na rua pedindo esmola desvia o olhar e passa batido, afinal acha que todo mundo tem as mesmas oportunidades na vida, basta se esforçar, certo?

Meu amigo secreto passou o ano inteiro dizendo que não era machista na internet, mas semana passada deixou as regras de etiqueta em casa quando saiu à noite para flertar e tentou beijar uma dúzia de meninas a força na balada. Meu amigo secreto manda “nudes” não solicitadas e ainda acha que as pessoas devem obrigatoriamente sentir tesão por ele.

Meu amigo secreto está incomodado com as manifestações feministas na internet alegando que “nem todo homem é assim.”, mas continua sem se manifestar com aquela foto misógina no grupo dos amigos, sem se impor em ver o irmão destratando a namorada, sem tomar uma atitude em presenciar o chefe assediando a colega de trabalho.

Meu amigo secreto é meu ex, é meu pai, é meu melhor amigo, é o desconhecido no ponto de ônibus, é meu chefe, é uma mulher, é o pastor da igreja da esquina, é o presidente da câmara dos deputados... A minha amiga secreta levanta a cabeça e vai à luta com todo o apoio do poder feminino, por que somos todos contra o abuso das mulheres na sociedade. Seja você também!

domingo, 15 de novembro de 2015

Meus votos



Hoje eu estou aqui, na sua frente, para te dizer várias coisas extremamente simples! Estou aqui para mostrar para aos demais o que eu e você já estamos cansados de saber. Quero dividir com todos um pouco do que foi ter você nestes últimos anos da minha vida. Estou aqui para reforçar a certeza de que a vida é muito mais bela ao seu lado!

Foram três primaveras de amizade, onde cada sentimento de compaixão era traduzido em lembranças que são lindas até hoje. Sempre acreditei que o amor nasceria de uma grande amizade, e você honrou cada função que teve dentro dos nossos acasos. Você era prestativa, atenciosa e tinha o abraço mais acolhedor do mundo. Não foi atoa que num desses abraços eu percebi que estávamos desempenhando papeis errados. Nós nos pertencíamos um ao outro, e eu faria de tudo para que você pudesse enxergar as coisas como eu via. Por que desde sempre eu tive a certeza de que seriamos perfeitos!

E quem diria! Demos certo até demais. Lembro inclusive a cara de pasmo dos nossos amigos quando souberam. Certas coisas simplesmente acontecem, por que a vida é feita para acontecer! De repente aquela coisa das pessoas acharem que nós éramos namorados virou realmente uma realidade, e eu tinha um prazer sem fim de contar para as pessoas que você fazia parte da minha vida. Sempre tive orgulho da mulher que você é! O maior motivador do meu amor por você, sem dúvidas, é a admiração que eu tenho pela sua força, pelas verdades que saem dos seus olhos e mudam as pessoas que te rodeiam. Você é uma peça rara, meu amor, eu lhe garanto!

 Agora, depois de alguns longos e prazerosos anos, eu divido essa felicidade com você, de selar nossa história juntos e fazer dela uma longa narrativa de duas almas apaixonadas que vão curtir cada segundo com o máximo de amor e felicidade que possa existir! Meu amor, minha vida, meu doce sonho de primavera. Lhe aceito exatamente como é, com cada defeito, com cada cicatriz, com cada problema que possa vir a existir. Por que amor é muito mais do que descrevem por ai! É cuidar, é se doar em detrimento da felicidade do próximo sem desejar nada em troca. É encontrar a felicidade em te ver sorrindo! E eu posso cruzar o mundo para despertar seu sorriso se for preciso. Por que eu amo de verdade!


Os anos foram bondosos com a gente. Eu gosto de lembrar o quanto éramos jovens até mesmo nos últimos momentos. Cada viagem por esse mundo imenso! Posso me recordar do som do seu riso em cada uma das centenas de viagens que fizemos. E todos soam como você, soam como amor! Vou continuar sempre a lembrar do quanto adoro sua companhia, mesmo quando não haja mais forças. Por que nos reencontraremos em breve, e ainda poderemos ser o elo inquebrável de alegrias e risos sinceros. Depois que ficamos tão velhos lembro-me das pessoas dizendo que era muito lindo temos vivido uma vida tão entrelaçada em companheirismo, eu não entedia muito bem, pois eu olhava para você e ainda enxergava toda uma vida pela frente. Por que o amor não tem final! Por cada década eu te amei mais, e continuarei a amar sem que haja jamais um término. Ainda acordo sorrindo, pois sei que você está ao meu lado, em poucas primaveras te abraçarei de novo, e como todos os últimos setenta anos de abraços, será mágico!

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Não me espere voltar!




Sei que você ainda se pergunta por onde eu ando. Ninguém sabe! Eu tenho cruzado lugares distintos do globo, mas às vezes sinto que não estou em lugar nenhum. Quero que entenda que eu não estou fugindo, apesar de nunca mais ter te ligado ou respondido suas mensagens. Sinto muito! Tive que partir. Nós éramos demais juntos, exagerados, uma overdose de sentimentos que mexiam assustadoramente comigo. Estou numa jornada particular, em busca de algo só meu, talvez você não entenda, mas me é necessário.


Lembro que você caiu corriqueiramente na minha vida, e em poucos dias, de repente, já éramos melhores amigos. Você tinha aquele ar doce de homem inteligente e tímido. Você se dirigia a mim com todo o respeito do mundo. E eu já tão cansada de ser tratada como saco de pancadas não pude deixar de me apaixonar por você, era inevitável.



Desculpe por ter uma família extremamente à moda antiga, por ser essa confusão de emoções, por ter um namorado eterno na minha vida. Desculpa por dificultar tudo. Eu acho que acabei destruindo um sonho, só que ele não era apenas seu, por favor, entenda.



As tardes com você eram sensacionais, parecia que você me conhecia perfeitamente nos detalhes, conseguia prever todos os meus anseios mais particulares. Sempre com um bilhete surpresa, uma frase romântica e um beijo roubado. Você era uma espécie de definição de carinho e desejo. Meus olhos se perdiam indefinidamente dentro dos seus. Aquele seu abraço que me aquecia e me protegia do mundo, eu sentia ali, mesmo que por poucos minutos, que todo o mundo era simples demais, só que não era. Nunca foi. E eu sinto falta do seu abraço!



Você quase destruiu meu namoro, não sei como isso foi possível, eu nunca fui de fazer essas coisas, eu mesmo acabei me julgando nessa história. Só que você era diferente, você era completamente diferente de tudo que eu já vi! Você era uma incógnita, tinha todo um mistério no sorriso e muita sensualidade na barba por fazer, mas quando encostava as mãos no meu rosto e dizia o que queria, era de uma total confiança que me assustava. Eu nunca duvidei da tua vontade de me fazer a mulher mais feliz desse planeta. Eu só não sei se estava preparada para isso. Você me fez perceber que vivia uma vida medíocre, e pior, gostava dela. Obrigado por isso, talvez.



Nessa confusão eu acabei magoando você e todas as pessoas as quais me importava, eu atropelei todo o mundo com minhas incansáveis indefinições. E esse amargo é grande demais para se dividir com os outros. Eu fui embora por que você, principalmente, não merecia alguém como eu. Ainda me falta muita maturidade para lidar com a vida, eu admito isso!



Quero que saiba que você foi a melhor dose que já tomei. Embriagava-me em meio segundo e não me tirava o sorriso do rosto por um instante. Afogaria-me na sua essência, me drogaria de você dia e noite. Tomaria cada gota do nós que você tantas vezes escreveu e disse aos meus ouvidos que um dia seria real. Mas eu não fui capaz de jogar toda minha vida fora por você, era um risco grande demais que eu não conseguiria correr.



Em meio a tantas milhas sem destino eu espero me achar em algum destes lugares, e quem sabe então, encontre você afinal dentro de mim. Mas enquanto minha vida procura um significado, deixo as lembranças me mostrarem que presente nenhum será tão magico quanto aquele passado que você me deu.

domingo, 25 de outubro de 2015

"Nada como um dia após o outro, só assim para colocar as coisas em seu devido lugar..."

Você chegou a minha vida com uma lista inteira já pronta, e eu me assustei com isso, afinal, não é todo dia que alguém entra em você com um manual inteiro a ser seguido. A verdade é que os verões já não abrigavam o mesmo sentido, as folhas não estavam tão verdes, secaram logo após a sua partida, e eu juro, sem o seu manual de instruções eu me desorientei completamente.

Eu já não sabia de que horas deveria estar pronta para sair, nem quanto tempo seu banho demorado duraria para que eu pudesse entrar no banheiro logo em seguida. Eu não sabia nem se deixava o despertador tocando as cinco da matina ou se me levantava mais cedo para dar tempo de me arrumar e sentir a sua falta, porque na verdade a sua ausência era tudo de você que ainda restava para me fazer esperar alguma coisa da vida.

A sua ida me embrulhou o estômago, me fez mastigar o pão e imaginar o gosto do seu beijo, me fez ir na padaria e dobrar a quantidade de sorvete que eu já tomava normalmente e me deixou com todas as minhas raízes expostas, porque eu deixei a minha alma nua para você senti-la e saber exatamente o que esperar de mim, mas você não soube, foi embora e eu só aprendi que sorvete ainda é o curativo mais eficaz que existe.

Estamos em uma nova era de existência e ainda não encontra-se remédios para curar corações quebrados em qualquer farmácia, não que o meu coração ainda esteja quebrado, mas tudo o que eu encontrei depois que você se foi, foram dores de cabeça, sorvete e calda de chocolate, e por incrível que pareça, isso foi suprindo a sua ausência. Isso me fez perceber que o meu nível de obsessão por você era tão grande e intenso, que hoje em dia eu não acordo mas as cinco da matina, nem sequer mastigo o pão imaginando o seu beijo, hoje eu não quero nem você, nem o sorvete com calda de chocolate.

Com o tempo, depois que você foi embora, eu aprendi a mudar meus hábitos, a colocar a minha rotina de acordo com o que eu faria durante o dia. Passei a caminhar em cada fim de tarde com a companhia dos meus fones de ouvido e ficar MUITO satisfeita com isso, passei a não enlouquecer quando a música que chamávamos de "nossa" começasse a tocar no rádio e aprendi a me interessar por outras pessoas que frequentam o mesmo museu, as mesmas praças e assistem aos mesmos filmes que você, mas sem lembrar a cada segundo que essas eram características SUAS, porque me desculpa, mas agora são minhas, e eu não vou me perder devido a rachadura feita do meu lado interior, afinal, a vida segue.

Eu decidi ficar bem sem você, deixar de esperar que exista essa palhaçada de "amor perfeito" e "beijo de novela", isso nem combina com minha personalidade libriana! A minha decisão foi tão intensa que hoje mais cedo eu pensei em rever meus conceitos. Eu tomei meu café da manhã, em seguida o banho gelado para despertar e continuei pensando a respeito das minhas entrelinhas. Fiquei imaginando, como seria o café na hora do banho e o banho na hora do café, não que essa seja uma mudança muito significativa, mas é bom mudar até a ordem dos fatores, e depois que você se foi, eu percebi que precisava organizar a bagunça que você deixou, e isso incluia tudo, até mesmo banhos e cafés da manhã, mas também poderiam ser sobre companhias e novos amores, porque não?

(Marina Galvão)

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Por um triz amor!



“Pula pra trás!” você disse de repente, e eu obedeci como uma ordem. Me joguei para o banco de trás do meu carro, e logo em seguida você veio também. Lembro que você sentou no meu colo e me deu um beijo selvagem na boca, e logo mais prosseguiu pescoço abaixo. As janelas embaçaram em um instante! E enquanto eu ia começando a explicar por que isto acontecia você já estava tirando a minha roupa inteira! Sexo no carro não costuma ser o melhor dos mundos, mas esse eu não vou esquecer não. Você disse “Não se apega!” E era o tipo de frase dos sonhos para qualquer homem ouvir de uma garota prestes a transar. Só que para dormir aquela noite não foi nada fácil! Eu estava perdido de desejos por você, eu estava absolutamente apaixonado por você!

Eu lutei contra a força que me fazia ter qualquer sentimento amoroso pelo nosso sexo casual. Era bom demais! E eu sabia que não poderia me deixar levar por isso, por mais difícil que fosse. No final acabamos passando o final de semana inteiro juntos, deitados no seu sofá, assistindo todas as séries que existiam no mundo. De repente, a gente era mais que ‘casual’, e quando eu menos percebi, me dei conta que depois do susto quem se apaixonou foi você, afinal.

Eu juro que eu tentei! Depois de te ver presa a mim eu tentei me envolver, mas era tarde demais. Você me proibiu de ter desejos por você, e eu fiz a lição de casa perfeitamente. E aos poucos eu te vi definhando a beira da loucura pelo fato de eu não querer ser exclusivamente seu. Foi ai que toda sua pose de mulher decidida, durona e madura desceu pelo ralo. É uma pena, de verdade! Buscarei a vida toda por alguém como você, que me dê essa sensação de desejos realizados quando ao seu lado.

O amor nos deixa tão vulneráveis, suscetíveis, até mesmo paranoicos! E de repente você já tinha ciúmes, já fazia exigências! E eu não conseguia mais ficar ao seu lado, por que a mulher que eu conheci não existia mais. Todo mundo gosta ao menos um pouco da submissão, não tem jeito! É muito bom ver alguém totalmente confiante a sua frente, só que a mesa girou, e de repente eu que estava dando as cartas. Desculpe por ter escolhido não jogar, eu sempre preferi pessoas dominantes, e você deixou de fazer meu jogo.

Sei que foram muitos os sexos em que você fazia amor. Já me sentia culpado por isso! Mas que bom que você teve a decência de me mandar embora, de esboçar sua indignação. Eu não te queria, e você não queria só sexo, acho justo! Só que de repente você batendo o pé tão forte e me expulsando dessa forma me fez sentir de novo aquela coisa, sabe? Era surpreendente como a raiva te deixava tão sexy! E a mesa rodou de novo, e consequentemente acabou rodando de novo e de novo. Por que nós somos polos inversos, buscando pela companhia das pessoas que nós não éramos.


Você sempre vai ser sensacional ai de longe. E ai de perto eu sempre vou ser o canalha querendo fugir de você. Certas coisas não foram feitas para acontecer, infelizmente. Já outras foram feitas para acontecer indefinidas vezes, e essas sim a gente poderia continuar fazendo, já que ao menos nisso, combinados essencialmente bem! Saudades de você.

Milena



- "Sei que não sou de expressar meus sentimentos, já ando acostumado a te ouvir reclamando sobre isso, mas espero que não seja tarde demais! Sei que você sempre foi muito difícil de se manter por perto. Seu coração é inconstante, inquieto, cheio de surpresas diferentes a cada dia... Sério! Cansei dessa guerra nossa, Mi! Por favor, me deixa consertar as coisas!
.
Mesmo quando você me olha com toda a seriedade do mundo e me diz que não quer nada a sério, eu sinto vontade de casar com você ali mesmo! Toda vez que te vejo dentro do teu carro, indo pro seu trabalho, sendo a mulher mais bem decidida e determinada desse mundo eu sinto vontade de me entregar inteiro a você!
.
Eu tô pirando, Mi! Eu não sei mais o que fazer, você é perfeita demais. Você me deixa sair para beber com meus amigos, te trocar pelo futebol, ir para a balada sozinho. Eu me sinto tão sem controle sob você que eu não paro de pensar em você onde quer que eu esteja!
.
Talvez seja esse o problema! Eu querendo controlar você, tendo ciúmes, querendo estar presente na sua vida em todos os momentos. Você é um pássaro livre, eu entendo! Você é linda, bem sucedida e liberta de apegos emocionais. Você é uma mulher de verdade! E eu achando que nunca ia me apaixonar por ninguém...
.
Não sei se sendo sincero eu te afasto mais ou te ganho por compaixão... Pqp, Mi! Como eu sou louco por você, o que você fez comigo? Não tenho mais controle dessa coisa louca dentro de mim que só me faz pensar no seu sorriso, no seu perfume, nos seus beijos! Por favor, faça uma exceção, se permita! Eu juro ser o cara mais atencioso desse mundo, por você, por nós! Eu vou ser o melhor namorado, eu vou te dar os melhores momentos a dois que você jamais imaginou! O que acha? Estou enfim me abrindo, Mi! Acho que posso mudar por você sim!"
.
- “Meu Xuxu, sinto muito, a questão é que não estou procurando por homem nenhum no momento, mas agradeço o carinho, viu? Acho melhor continuarmos solteiros, só que um pouco mais distante por enquanto, tá? Cuida bem do coração, ok? Beijinhos da Mi <3 ”

Almas Gêmeas




As pessoas dizem que eu e você temos os mesmos gostos. Mal eles sabem que eu odeio comida japonesa e você adora, só comemos pizza por que é mais fácil, e ainda sou obrigado a ouvir de você que vai me largar por não poder comer nos lugares que você gosta!
 
Dizem que temos gostos músicas iguais, mas apesar da banda favorita em comum eu não suporto o seu indie e você tão menos o meu MP. A ponto de você querer me proibir de ouvir todos os meus álbuns favoritos.

Dizem que adoramos os mesmos lugares, imagina se soubessem que odeio baladas e você odeia o tal do boliche, só vamos ao shopping por comum acordo. Te acompanho nas baladas para te ver dançando com outros caras só por que eu não quero aprender a dançar.

As pessoas olham pra gente e dizem que somos feitos um para o outro, mas não sabem o quão difícil é viver com alguém tão diferente. Dizem que temos personalidades parecidas, mas não veem todo o esforço que faço pela minha família, por exemplo, enquanto você não liga nem para seus pais, alias nem para mim!
 
Dizem que nossos costumes são parecidos, mas não vêem sua conta estourada devido o Iphone 6 que você pagou para usar o whatsapp, enquanto eu comprei uma cama usada para guardar dinheiro para as nossas férias. E ainda tive que te ver recusando a vir passar o final de semana comigo por que meus moveis eram velhos demais!

Você adora a praia, mas eu prefiro o campo. Você gosta de caminhada eu prefiro escalada. Você prefere filmes, eu sou das séries. Você compra roupas, eu livros. Não sei porquê ao certo, mas nós nos damos bem e estamos juntos!

Todo mundo diz que somos feitos um para outro, almas gêmeas! Mas sei que no primeiro vacilo que eu der você ira embora, enquanto eu aguento todos os seus e permaneço aqui.

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Não sei por que você se foi


Ainda tento entender como pode ser possível sonhar com você noites inteiras mesmo depois de tantos anos da sua partida. Eu sequer tenho uma foto sua! Eu mal consigo lembrar perfeitamente do seu rosto, mas o que você deixou em mim foi muito mais que aparências, foi mais do que a minha memória fotográfica poderia se recordar. Você até deixou saudade, mas passou depois de um certo tempo. Você deixou tristeza sim, mas para todo coração partido existem novos amores acolhedores. Você deixou uma certeza crua, uma dose amarga de desejos que jamais serão satisfeitos por outro alguém que não seja você. Certas coisas infelizmente não têm conserto. Certas pessoas não existem em versão genérica na farmácia do nosso bairro.

Ainda acho muito bonita a sua parte que ficou em mim, ainda me enche de felicidade lembrar como era acolhedor olhar em seus olhos. Em pensar que estar com você era uma espécie de solução para todos os problemas da minha vida, um portal mágico para uma terra distante onde havia apenas o amor. Eu gostava de me aventurar no seu sorriso, sinto falta da sensação, estou enferrujado, espero que você ainda tenha o jeito da coisa, não desejo a ninguém a solidão a qual me acostumei a viver sem você.

Quando eu bebo não é de tristeza, quando eu danço não é de felicidade. As baladas nem fazem tanto sentido assim, afinal as músicas geralmente são repetitivas e horríveis. Não sei se estou velho ou se perdi o jeito de curtir a vida. Só não acho que deva ser normal querer ficar todo o tempo livre em casa vendo filmes e comendo chocolates, é tipo uma TPM infinita, que vai acabar me matando, ou me deixando um gordo-careca-resmungão. Você me fez começar a ser muito exigente, parece que ninguém serve, parece que ninguém é bom o suficiente. Parece que ninguém serve para ser você na minha vida.

Tem gente que acha que eu fiquei paranoico por sua causa. A verdade é que eu nem lembro mais do seu perfume, ou da sua voz. Meu psicólogo diz que eu me saboto demais, e eu ainda acho que a vida é que anda me sabotando muito nessa coisa de “Põe alguém pra ele amar, agora tira, agora põe de novo...”. Eu só posso aceitar e seguir. Não sei se sigo sem rumo ou se no fundo espero tropeçar em você um dia novamente. Você foi a dor que eu menos me arrependo de ter sentido, você significou tanto na minha vida que depois que foi embora a vida deixou de significar coisa alguma.


Só queria depois de tantos anos te dizer uma coisa (e espero que por um acaso você decida ler novamente o que eu escrevo e veja). Eu gostaria de dizer para você o seguinte: Não volte! Se sua vida estiver ruindo, se seu mundo cair, se tudo estiver um inferno e você se recordar que eu era a única pessoa no mundo capaz de fazer o impossível por você, por favor, não volte! Por que se você voltar eu abro a porta, e se eu abrir eu vou ter que sofrer tudo de novo, e sinceramente acho que ninguém aguenta duas vezes esse tipo de dor na vida. Então, por todo o amor que eu tenho por você, depois de uma vida inteira, fuja daqui! Alias continue fugindo. Você merece ser feliz! Espero realmente que você seja, de coração. Só que eu também mereço!

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Te amarei de janeiro a janeiro.

O amor surge quando o inverno sem querer vira verão, quando não existe chuva forte, tempestade ácida ou neve certa para impedir dois corações de se olharem, para fazer com que a vida vire do avesso e seja menos do que parece ser.

    A verdade é que eu vivi anos sob a mesma estação, passei dias florescendo pela manhã e deixando minhas folhas caírem a cada fim de tarde, eu vivi muito tempo a espera de algo que pudesse me deixar emocionalmente estável, que pudesse me fazer permanente, em eterna primavera ou em chuvas pequenas e curtas para um raiar de sol ainda mais forte que o anterior.

    Sim, eu era furacão querendo calma, era ódio implorando amor, sede ansiando por água e outono desejando desesperadamente florescer, e foi então que você surgiu com uma barba mal feita, com um sorriso aéreo e cheio de cor, transbordando flor e amarelo ouro na minha vida, sendo um tudo repleto de vazio, mas um vazio que eu queria que ficasse eternamente preso as minhas raízes, um desconhecido lindo que eu queria manter perto com todas as interrogações, com todas as chuvas, com todos os céus escuros e claros, eu queria você e o seu sorriso deslumbrante próximo a mim, o resto eu poderia resolver, porque não haveria de existir dúvida certa com você sendo a explicação existente entre cada parêntese definitivo que marcava o enlace da minha história.

    Sempre acreditei na eternidade, tanto do amor quanto das estações, tanto de mim quanto de você, tanto dos nossos laços quanto do nosso nó(s). Sempre acreditei em eternidade porque naquela rua tranquila em frente a casinha amarela que eu sonhava em morar, estava um velhinho chorando a perda da sua amada, como se repetisse para si e para o mundo o quanto a tinha amado naquela mesma cadeira todos os dias, o quanto eles foram eternos a cada pôr do sol, a cada lua cheia e nova, a cada queda de folhas, chuvas, só(i)s e florescer, e agora, como aquele senhor dizia para o seu amor, eu te digo que te eternizo em mim durante toda festa anual, durante cada nuvem que se forma e cai em mim de paraquedas em forma de chuva, água seca e sol quente.

    As coisas findas viram as mais espetaculares e saborosas quando doem, por incrível que pareça, em qualquer estação que você viesse a surgir hoje, iria doer, mas iria ser uma dor daquelas que a gente se acostuma a viver, uma dor feita de silêncios, e se eu não fosse tão fanática pela tranquilidade do não dito, jamais te aceitaria em forma de tempestade, mas como diria Clarice Lispector: "Eu também sou o escuro da noite."

(Marina Galvão)

terça-feira, 8 de setembro de 2015

O amor da sua vida é você mesmo



Sabe essa coisa de achar que perdemos a chance da nossa vida quando vemos aquela pessoa especial saindo pela porta? 

É claro que todo mundo já sofreu por alguém, é normal! Mas é necessário entender que dor nenhuma pode ser demasiadamente prolongada, porque se aumenta é sinal de que as coisas estão fora do seu devido lugar, e certamente esse não é o melhor caminho! Devemos alterar a direção! (com certa frequência, aliás).

Gostar da vida a dois é normal. E isso não significa uma vida caseira! As pessoas têm gostos e costumes variados. Mas de lei relacionamentos são baseados em confiança, admiração e afeto (ao menos deveriam ser!). E em tempos onde as pessoas necessitam tanto de atenção e aceitação, é comum ver por aí relações de fachada, com sentimentos superficiais, que servem apenas para inflar egos obesos e alimentar caráteres vazios. A aceitação da sociedade é o mais novo ópio do povo. Deve-se ter cuidado! Acreditem se quiser, mas já existiu uma época remota da história onde se namorar alguém só era possível quando se amava. Que coisa mais démodé né?

E mesmo quando sentimos de verdade, quando nos doamos por inteiro, ainda sim faltará! Ainda sim você correrá o risco de se decepcionar! (Até por que a vida é feita de decepções, e eu digo isso com a maior positividade do mundo). Porque do outro pode se esperar de tudo! O outro nunca vai ser exatamente o que você quer, porque as pessoas erram e têm defeitos. Assim como você! Ter alguém (que não significa posse e em hipótese alguma deveria significar) está relacionado à confiança que é trabalhada entre ambas as partes e ao esforço que você emprega para cativar e manter essa relação. Você tem certeza que dá a devida importância a quem você ama ou você impõe suas vontades esperando que sejam seguidas?

É muito triste perder quem amamos! Dói pra caramba! Perder mais de uma vez então é o fim do mundo, nos faz achar que tem algo de errado com a gente (às vezes ((quase sempre)) tem mesmo), mas desistir do amor é a mais pura covardia! É como tirar a própria vida por estar descontente com os resultados que você anda colhendo da sua existência. É importante demais mudar! É fundamental que se estude a faculdade da vida. Se colocar no lugar dos outros é um dom para poucas pessoas, treine sua compaixão pelo próximo. Acredite no amor, porque se ninguém mais acreditar você não vai achar alguém que acompanhe e seja parte dos melhores risos que você terá na sua vida!

Quando estiver sofrendo lembre-se de pôr tudo para fora! Mas também aprenda a seguir teu caminho com modestos passos. Aprenda a absorver as más experiências e usá-las a teu favor (é revigorante, te prometo!) 

Um grande amor não se esquece! Lembranças não se apagam! Passado não se reescreve! Mas achar que alguém é/era seu único amor para toda uma vida é egoísmo demais! A importância que você da a quem não te estende mais a mão é fruto da tua maturidade, é fruto da sua imaginação. Desapegue dos sentimentos não mais bem vindos, mas não apague as lembranças! Supere os traumas da sua vida, mas jamais desacredite no amor! Por que você é o amor da sua própria vida!

***Gostou? Curte ai!
Oi, Clica aqui!

***ATENÇÃO NAVEGANTES: Quer receber amanhã um texto exclusivo do livro no inbox? Compartilhe esse post e convide 5 amigos para curtir a página! :3 <3