segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Boa noite!

 http://3.bp.blogspot.com/_2HQLQqkg4es/TJ9t9pJXzTI/AAAAAAAAAr0/Ok6-8W9ppFw/s1600/4.bmp

O que me mata lentamente são as noites, que quanto mais frias mais me lembram do seu corpo quente junto ao meu. Me arrastam em longas horas de pensamentos, lembrando o quão maravilhoso era poder te abraçar na cama, te encher de beijos e olhar nos seus olhos. Sinto falta do olhar de volta, de passar a mão no seu rosto e sentir sua pele, sentir que aquilo tudo era real, um pedaço de um sonho que não iria acabar. Dizer que te amo com a certeza de que ninguém sabe o que sou realmente capaz por nós dois, por esse amor. Minhas mãos mexem involuntárias buscando seus cabelo encostados no meu peito, para fazer um cafuné ou uma massagem.. A noite cai e tudo que se pode ouvir é sua respiração, e ali eu fico te observando, sem nada melhor para fazer, com a certeza de que vale a pena cada segundo, registrando na minha memória fotográfica o quão especial você é. Talvez nem entendam o que o amor exatamente seja, mas supera o superficial, é aquele sentimento ali, de chorar sem por que, por você estar ali, dormindo e sorrindo ao mesmo tempo. A solidão não é ter apenas o travesseiro para abraçar a noite, às vezes abraçamos outras pessoas, mas é como se fosse uma casca, vazia, completamente ausente de amor, por que quem alimenta esse sentimento somos nós, e nem tudo é substituível assim, acredito que as noites sejam as piores. O cheiro, as risadas, a divisão de espaço e cobertores. A gente se perde nessas noites frias, achando que vai acabar desaprendendo a dormir, mas de fato não costuma esquecer de que só amor aquece de verdade nosso coração e cura as feridas que a gente coleciona desse mundo azedo.

domingo, 20 de agosto de 2017

Noites vazias, mundo em pedaços


Me dê a saideira dessa noite. Me dê algo forte o suficiente para esquecer tudo, para não lembrar quem eu sou. Olhei para o céu tentando esquecer, enganado minha própria mente, que me sabotava a todo momento. Não encontrei conforto nenhum em lugar algum. Tudo ainda era você, tudo era ainda aquele nosso lugar comum, onde construimos um sonho juntos, onde brincamos de ser feliz e falhamos miseravelmente.
Não sei exatamente porque, nem como isso aconteceu, mas o tempo passou e a vida me tornou em uma sombra. Quem dera tivesse a força necessária para deixar tudo de lado e viver plenamente esse turbilhão que isso se tornou. Nunca precisei tanto de ajuda, nunca tive tanta certeza que tinha alguém por mim, imaginei que tivesse onde me escorar, mas derrubei tudo em cima de mim mesmo. Doce ilusão essa do amor, da paixão, da doação.
Seja lá onde estiver se divertindo estarei aqui ainda, chorando, lutando para superar essa perda incalculável, esse livro recheado de histórias  incríveis. Não sei mais como entrar num restaurante, num shopping, num metrô. Tudo era nosso, o mundo era nosso, e você de repente desistiu assim. Não tive tempo de sequer falar o que eu sentia, de entender onde a vida nos passou para trás. Agora é tarde, e mais uma vez eu perdi um mundo inteiro, planos infinitos de uma vida a dois, um casamento, um sonho que parecia tão real, tão certo que, estava quase aqui.
Que o futuro seja gentil e me traga a verdade, seja qual for e de onde venha. Que me traga você de volta ou ao menos minha paz. O tempo passa e a gente cansa dessa vida, de sair, buscar, curtir, planejar, de lutar por certas coisas. A gente só quer o nosso canto, nosso felizes para sempre, numa cama qualquer com um filme na Tv. Queria ter o poder de transformar o mundo em todo esse amor que eu sinto por você, toda essa capacidade de perdoar, de olhar nos seus olhos e enchergar a felicidade, me enchergar sorrindo, completando cada desejo e sonho dentro de mim. Que ninguém precisasse mais sentir essa dor, de olhar pro lado e não enxergar nada, passar a mão na cama e não achar ninguém, olhar para o porta retrato e derrubar as lágrimas de momentos perdidos no passado, de olhar para frente e não entender o que está por vir. Desaprender a sentir, esquecer como se ama, ter deixado tudo o que o amor possa signicar nessa existência em você. Acreditar que jamais vou encontrá-lo novamente, jamais vou encontrá-la de novo.
Foi real, não sei se foi pra você tão real assim, mas perdi um pedaço de mim quando você cruzou aquela porta e sem uma explicação digna levou consigo todos os meus sonhos, desejos e planos, sem perguntar se eu estava pronto para abdicar de quem eu era ao seu lado. Vão ser incontáveis noites a mais sem sono, buscando dentro da minha cabeça uma explicação que se encaixe, um possível  roteiro que faça sentido, tentando escrever um futuro incerto, com você aqui ao meu lado, mesmo que jamais volte a vê la.
Que esse amor dentro de mim ainda possa existir nas pessoas, e que ele possa te encontrar em outro alguém, que esteja apto a te fazer a mulher mais feliz do planeta, a dar a própria vida pela sua felicidade, pelo seu sorriso, assim como sempre estive. E que seja digno, para que você possa ficar dessa vez. Eu vou seguindo nessa coisa maluca que é a vida, perdendo cada pedacinho da minha alma nas pessoas que amei com a força do mundo e partiram. Eu sou muito forte sim, eu sou a melhor pessoa do universo sim, mas eu não nasci para isso. Piedade desse coração que foi doado para outrem sem vontade de lutar pelo amor. Vazio, sem saber se encontrarei o amor que perdi, sem saber se o amanhã continuará valendo a pena. Te amo, sempre, onde esteja, onde descansa nossas promessas e nossas datas marcadas, sonhos traçados. É uma pena, é um pesadelo sem fim aqui dentro. Um livro fantástico, pela metade, que não posso mais ler.

sábado, 5 de agosto de 2017

Sozinho na rua






‘A gente conhece tão bem que sabe exatamente onde encontrar a pessoa 3 dias depois que ela vai embora. ’
‘...Bom, a gente tentou! ’
‘Não. Eu tentei! Você desistiu. ’

Desligou aquela baboseira na TV e pôs seu perfume com bastante exagero. Estava pronto para sair, pegou o celular e colocou as coordenadas no GPS. No caminho cantava tranquilamente sua Playlist de sábado enquanto observava as luzes da cidade.

Chegou ao cinema e lá estava ela. Mal tiveram tempo de se conhecer formalmente, o filme ia começar. Situação chata de conhecer a pessoa pessoalmente em 5 min na fila da pipoca, mas tudo bem! O filme era ruim, e só depois de 80% dele que ele a beijou (até porque ela quase teve que agarrá-lo).

Depois do filme mal tiveram tempo de conversa de novo. Ela chamou um táxi e o intimou a ir com ela. Ele achou ali que talvez fosse perder um fígado e a vida por uma foda de primeiro encontro. Graças a deus estava errado, era só uma foda inofensiva, sem extração de órgãos para o mercado negro.

Essa postura dominante dela o deixou desconcertado. Era difícil agir, não sabia bem como lidar. Estava acostumado a orquestrar tudo sozinho, o grande mestre dos encontros casuais e sem futuro. 

Ela pegou ele desprevenido e subiu em cima dele na cama. Começou a tirar a sua roupa e beijar o seu corpo com muita vontade. Ajoelhou no pé da cama e o chupou sem tirar os olhos dos olhos dele. Ele retribuiu o oral com total técnica e habilidade em línguas. “Melhor oral da minha vida” ouviu ele, sorrindo por lembrar que ouvia isso com frequência, mesmo sabendo que cerca de 70% das vezes era mentira.

“Você gosta de apanhar? ”. Perguntou. Ela ficou pensativa e disse que não sabia, nunca havia pisado nessas margens. Não custar testar. Ele então soltou um tapa na cara dela. Ela esboçou uma expressão de gosteinãogostei, mas tudo bem. Levaram aquilo numa boa até o final, foi de uma boa nota 7,5 afinal.

“Você é única na cama” disse ele sentindo que sequer fez esforço para mentir, e que ela havia notado. Deitaram lado a lado e ficaram em silêncio, ela acendeu um cigarro. Ela parecia nem notar ele ali. “Então... Posso te chamar como? Linda, gata, princesa, mozão, sereia, flor, deusa...” dizia ele em tom de brincadeira para quebrar o gelo. “Que tal Kátia? ” Ríspida “É, Kátia parece ótimo”...

“A gente podia levar isso numa boa sem ficar mentindo um para o outro né? Entendo que você é assim para seduzir suas paqueras, mas às vezes (e no caso) é só um orgasmo, então relaxa aí. ” E ele concordou com a cabeça meio sem saber como responder.

Ela levantou e entrou no banho. Ele ficou ali um instante analisando tudo aquilo. Que mulher fantástica era aquela. Diferente das que ele costumava passar a perna. Por um instante cogitou a ideia de estar começando a se interessar por ela. Assustado colocou as roupas correndo e saiu de lá sem dar tchau.

Pensou em bloquear o contato dela mas decidiu que não. Ela jamais mandaria uma mensagem, era sabido. Tinha essa coisa dentro dele, uma covardia sem fim, beirava a falta de caráter. Não tinha muita vontade de entender o porquê, algo no passado talvez. Mas segue o baile, a baboseira de sempre na TV e o perfume em excesso para mais um final de semana.

Escondido sob a luz do dia






Chorei sozinho a madrugada inteira.... Tinha a certeza de que ninguém apareceria para me salvar. Aliás, era a única certeza que eu tinha. E isso me deixava desesperado. Nunca foi fácil viver a vida, convenhamos, mas às vezes ela se torna um fardo terrível. 

Realmente ninguém apareceu, mas aos poucos a gente percebe o quão exigente somos com nós mesmos. A gente se cobra horrores, para ser perfeito, para ser feliz...

Existem certos momentos em que a gente quer sumir, cavar um buraco e desaparecer do planeta. Voltar só daqui uns 30 anos no futuro. Infelizmente a gente não pode, não existe esse caminho. A gente se sabota, se coloca de propósito em posições difíceis, como vítima, como injustiçado, como quem não se importa com nada nem ninguém.

Depressão virou modinha, look blasé do novo século. É impressionante como é difícil enxergar a gravidade disso. Às vezes acho que só vivendo para entender o quão perturbador é. O quão difícil é lidar com o que a cabeça humana é capaz de produzir. E por isso, às vezes, fico feliz em ver quanta gente age tão errado ao lidar com isso, sinal de que elas estão a salvo.

São tantos conselhos inúteis, tantos ataques gratuitos, tantas ordens e manuais de instrução. Ninguém para um instante sequer para oferecer uma mão. Um abraço. Cinco minutos de carinho ou um “foda-se tudo isso! Vamos passar por isso juntos! ” Tem gente querendo se matar todo dia com a ajuda que vocês acham que dão. A gente se machuca mais facilmente, fisicamente, mentalmente...

Eu dei um grito de socorro, muita gente correu para longe, muitas pedras chegaram voando, e só uma mão foi estendida. Penso que por muito pouco esse texto nem escrito estaria sendo. A delicadeza da bomba relógio que ninguém sabe desligar. Tem que ter muita força para erguer a cabeça, tem que ter muito caráter para se envolver.

Um dia de cada vez a gente chega lá... Que deus fortaleça quem nega ajuda a quem precisa. E que melhores dias venham, longe dessa escuridão, longe dessa falta de energia. Talvez um obrigado, ainda estou vivo. Talvez.

Uma breve reflexão sobre o amor






Quando colocou o pé para fora do carro e tocou o chão senti meu coração palpitar como uma bomba explodindo. Antes da porta abrir eu já tinha a visão completa: O cabelo metade preso num coque e descendo caracolados em cascata pelo pescoço, o sorriso brilhando como nunca. Eu já tinha o vestido branco degrade desenhado na minha cabeça, com a coroa de flores e o arranjo em cascateado...

Amor sempre foi mais do que as pessoas vêm por aí. É tão injusto passar a vida assistindo filmes no cinema achando que tudo não passa de um enorme romance. A gente cai na vida das pessoas e sequer sabe como agir. A gente não aprende em lugar nenhum o real comprometimento que se tem em uma relação. Às vezes a vida passa e continuamos sem entender.

Me reservei por alguns bons anos para poder escolhe-la. Para poder ter certeza de que eu estava certo, investindo parte de quem eu sou num sonho comum. É preciso se doar, se entregar, se deixar convencer. Abdicar de algumas certezas, ponderar dezenas de vontades. O amor é um jogo de azar, onde às vezes a gente ganha e às vezes a gente perde, mas onde a diversão não acaba.

Gosto de cartas, flores, surpresas, bilhetes. Tudo a moda antiga! Gosto de abrir a porta do carro, beijar a testa e segurar mãos. O amor é uma massagem nas costas dada sem hesitar, é um convite aceito sem relutar, é uma cumplicidade cega sem ressalvas. Amar é arrumar o quarto e lavar a louça, fazer um lanche na madrugada e levar o cachorro para passear. Se colocar no lugar do outro e suportar o mundo nas costas por alguém. 

Para amar é necessário pôr o orgulho de lado, se despir de toda a vaidade e egoísmo, se preocupar de verdade e não se importar em quanto esta o saldo de favores da relação. Tem gente que acha que amar é ver filme no sofá no final de semana com chuva. Amar é sair cansado do trabalho e passar de surpresa na casa da pessoa com um guardanapo escrito “eu te amo”. Quando a gente ama dentro do tempo que a gente tem, o amor vira vitrine. Só existe amor quando distorcemos o tempo para distribuir o amor. Einstein e sua relatividade são uma ótima metáfora.

Uma viagem de trem, uma praia deserta, taças de vinho e teatro a noite. Do que vale o amor se não celebrado de forma total. Quem já passou pelo pior dia da vida, estufou o peito, pôs a melhor roupa e foi encontrar alguém para lhe dar um dia maravilhoso sabe o que é amor. Saber viver uma vida bosta e ainda fazer o outro rir, compartilhar, dividir experiências, fazer planos. Não adianta viver escondendo as coisas ruins, ou os planos para o futuro. Amor é planejar juntos, é sinceridade. 

Demora, mas a gente acha. Esperei, mas achei nela a magia. O sorriso. Nada como receber carinho e poder doar tudo que a gente tem de melhor. Tem gente que perde o amor quando passa por fases ruins, na verdade é justamente o contrário, do amor a gente espera só força e parceria nos momentos difíceis. Amar é saber administrar tudo isso fazendo com que jamais se desgaste essa vontade enorme de ver a pessoa, abraça-la, cheira-la, toca-la e deitar ao seu lado para mais uma noite de descanso.

Eu vi ali cada cafune, cada elogio bobo na cama, cada janta em cada restaurante, cada piada e sorriso que fiz ela dar. Vi um mar de surpresas e presentes, de datas festivas e conversas jogadas ao vento. Toda a cumplicidade de um felizes para sempre que começava novamente naquela data. 

Ela estava linda... De hoje para sempre!